background

Blog

(Português do Brasil) Aumento do frete chega a 29% devido às altas dos combustíveis. Entenda!

Tuesday June 21st, 2022

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

NTC & Logísticas define o cenário atual como crítico para transportadores.

As expectativas de preços menos voláteis pós-pandemia não se concretizaram. Com isso, o aumento dos fretes pode chegar a 29% devido à alta no preço dos combustíveis. O novo reajuste foi anunciado pela Petrobras, no dia 10 de março, que elevou para 18% o preço da gasolina e 25% o do diesel. Esse cenário é fruto da guerra entre a Rússia e a Ucrânia que eleva o preço do barril causando um impacto maior no diesel, prejudicando vários setores do mercado, entre eles os transportadores, já que a malha rodoviária é responsável por 60% do transporte de produto no Brasil.

O Conselho Nacional de Estudos em Transporte (CONET) da Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC & Logística) se pronunciou por meio de uma nota afirmando a necessidade da recomposição do frete devido ao aumento dos insumos dos transportes.

“O aumento de hoje do preço do diesel, da ordem de 24,9%, acarreta a necessidade de reajuste adicional no frete de, no mínimo, 8,75%, fator este que deve ser aplicado emergencialmente nos fretes, acumulando um reajuste total de 28,96% na carga fracionada e 28,82% na carga lotação. A NTC & Logística reitera a importância do transportador negociar a inclusão nos contratos antigos e colocar nos novos contratos um gatilho para os aumentos do diesel”, diz o texto.

Como previsto por especialistas, o consumidor final também sofre com os ajustes, já que esses custos serão repassados para a indústria e o comércio. Assim, medidas e ferramentas que diminuem o tempo dos processos das empresas de transportes de cargas são ações que podem ajudar nesse novo cenário.

13 reajustes em 1 ano

Desde janeiro de 2021, a Petrobras reajustou o preço da gasolina e do diesel 13 vezes. O último, realizado em 11 de março de 2022, foi o maior do ciclo de altas da estatal. A quantidade de aumentos foi confirmada pelo Observatório Social da Petrobras (OSP), organização ligada à Federação Nacional dos Petroleiros (FNP).

De acordo com a Petrobras, o último anúncio elevou o preço da gasolina em 18,7% e do diesel S-10 em 24,9%, confirmando a tendência de aumentos devido a tensão no continente Europeu. Somente em 2022, já é a segunda vez que a companhia aumenta os valores dos combustíveis mais importantes para a mobilidade no nosso país. O primeiro aumento se deu em 12 de janeiro deste ano, com alta de 4,9% no preço da gasolina e 8,1% no do diesel S-10.

Segundo a expertise dos especialistas da Rorika, esses aumentos impactam diretamente o preço do frete rodoviário no Brasil, uma vez que a malha de transportes por caminhões corresponde a 60% dos transportes de todos os produtos no país. Isso pode acarretar ainda um aumento no fluxo de transportes ferroviários, que, atualmente, são responsáveis por 20% de toda a movimentação de produtos e matérias-primas.

Efeitos do conflito entre a Rússia e a Ucrânia

A atual guerra ente Rússia e Ucrânia gerou turbulências mundiais, a economia foi fortemente afetada pelos conflitos, já que os principais produtos de exportação em que a Rússia se concentra são bens estratégicos como gás, petróleo, grãos e fertilizantes. Com as sanções mundiais decididas pela ONU e algumas decisões tomadas pelo presidente da Rússia, Vladimir Putin, as relações de exportação do país foram cortadas entre a maioria dos países.

A Rússia era o terceiro maior exportador de petróleo do mundo, atualmente o mercado internacional de petróleo e gás natural enfrentam a maior turbulência desde a década de 1970. Outro setor que sofre é o mercado de grãos, os dois países representam 29% das exportações de trigo e 19% das de milho, de acordo com o banco JP Morgan, além do impacto que o mercado de fertilizantes sofreu, pois o país era um dos maiores exportadores de fertilizantes. Com as sanções, os setores alimentício e agronômico sofrem com as altas nos valores de compra e de exportação do fertilizante vindo de outras países.

Gostou da notícia? Continue conosco para se informar das principais notícias que envolvem a economia. Fique ligado no blog e aproveite para tirar dúvidas com o nosso time de atendimento ou ajudar com cotações. Basta clicar aqui para falar com algum deles.

Posso Ajudar?